• Cristiano Pimenta

Cyber Security e a escassez de mão de obra qualificada


As organizações hoje entendem a gravidade dos riscos para a reputação corporativa, a boa vontade e a perda da confiança do cliente e, como boas práticas comerciais passam a potencializar investimentos em segurança da informação para proteger de maneira eficaz os dados e a privacidade de seus clientes.


Tais investimentos, passam também por selecionar colaboradores especializados, sabendo que aqueles profissionais que estarão envolvidos na segurança, precisam ter qualificações diferenciadas e avançadas, onde sua importância é tão relevante quanto a escolha da melhor tecnologia que para a mitigação dos riscos.


Com divulgações de violações de segurança, invasões e perda de dados que atingem as notícias todos os dias, os clientes exigem que seus fornecedores e provedores de serviços garantam a segurança adequada de seu ambiente, produtos e serviços, sendo imprescindível um time qualificado.


Por outro lado, o desafio é amplificado, motivado pela notória escassez de profissionais de Segurança, a baixa qualificação, ou mesmo pouca informação para novos interessados, o Brasil possui um número de profissionais em CyberSecurityaquém da capacidade para atendimento a alta demanda. Uma série de situações que potencializam um verdadeiro caos, se não tratado, e ao mesmo tempo uma enorme oportunidade para o desenvolvimento de uma nova geração de profissionais no segmento.


As empresas já sentem a necessidade de mão de obra qualificada, e sem uma ação coordenada, serão impactadas na mitigação dos riscos as quais estão expostas. No contexto da Gestão de Pessoas, estruturar um processo adequado para Recrutamento e Seleção de um segmento tão especializado, Cyber Security, pode tirar o sono de qualquer executivo.


Caminhos diversos ao longo do tempo, tem sido experimentados, onde alguns passam a incorporar na estrutura de Segurança, com o apoio da área de Recursos Humanos o papel de Business Partner, ou o mais conhecido por aqui, Consultor interno de RH, outros com a contratação de empresas generalistas em Recrutamento e Seleção, porém na sua maioria sem o conhecimento adequado do segmento e suas peculiaridades, levando a erros, turnover voluntário e sem dúvida o impacto imediato na operação de segurança da empresa.


Cristiano Pimenta, Mestrando em Recursos Humanos y Desarrollo Digital de Talento– IEP/Madri, possui MBA em Serviços de Telecomunicações – UFF/RJ, Pós-graduação em Gestão – ênfase Pessoas / Fundação Dom Cabral, Graduação em Tecnologia da Informação – UNISUL/SC.

----------------------------------------------------------------------------------------

É Sócio Fundador da CyberPeople – www.cyberpeople.com.br . Sua trajetória profissional ao longo de mais de 20 anos de experiência, inclui atuações de liderança na Arcon/Nec Soluções de Segurança Cibernética, Telemig Celular, Amazônia Celular e Vivo | Telefônica. Módulo Security, Microsiga, RM Sistemas, Petrobras.

----------------------------------------------------------------------------------------

Foi executivo responsável por de diversas áreas, tais como: Serviços de IT Security , Operações de IT Security, Recursos Corporativos (Recursos Humanos, Tecnologia da Informação, Qualidade&Processos, Sistemas), Produtos & Alianças, GRC, Segurança da Informação, PMO, SOC - Security Operation Center, Consultoria em Segurança da Informação.

12 visualizações
SIGN UP AND STAY UPDATED!
  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey Facebook Icon

© 2023 by Talking Business.  Proudly created with Wix.com

  • LinkedIn Social Icon